FUNDEB

CONCELHO MUNICIPAL DO FUNDO DE MANUTEÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA E DE VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO

CONCELHO MUNICIPAL DO FUNDO DE MANUTEÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA E DE VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FUNDEB
Informações principais
Data criação: 22/03/2007
Secretaria: SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA
Telefone: Sem Telefone
E-mail: Sem informação
Membros
Nome Função Representação Mais
AILA PAULA BATISTA DE LIMA MEMBROCONCELHO TUTELAR
ANTÔNIA REBOUÇAS CHAGAS MEMBROPAIS DE ALUNOS
CELMA FORTE LINHARESMEMBROPROFESSORES
CIERLEIDE MACEDO MAIAMEMBROPAIS DE ALUNOS
JOÃO GEANCARLOS MOREIRA DE ANDRADEMEMBROTÉCNICO - ADMINISTRATIVO
KELLLY KARINE MAIA ALENCAR MEMBROSECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
MICHELLE HELEN DA SILVA DE RODRIGUESMEMBROALUNOS
PATRÍCIO DA SILVA DE FREITASMEMBROCONCELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
RAFAEL MAIA DE LIMAMEMBROALUNOS
TÁCIA LUNA DE FREITAS CHAVESMEMBROSECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO
WANDERLO SILDMIR MOREIRA GONDIMMEMBRODIRETORES MUNICIPAIS

Total: 11.

Suplentes
Nome Função Representação Mais
ALINE FERNANDES DANIELMEMBROSECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO
ANA PAULA DE LIMA DA SILVA MEMBROTÉCNICO - ADMINISTRATIVO
BRUNA VANESKA FREITAS GUIMARÃESMEMBROCONCELHO TUTELAR
CLENILDA CHAVES APRÍGIOMEMBROCONCELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
ELENARA DA SILVA DE LIMAMEMBROALUNOS
FRANCILÚCIA GONDIM MARTINSMEMBROPAIS DE ALUNOS
FRANCISCA VICENTE DE ARAÚJOMEMBROPROFESSORES
FRANCISCO NILTON SOARESMEMBRODIRETORES MUNICIPAIS
HÉLIDA LIMA DA SILVA MEMBROPAIS DE ALUNOS
MARIA PEREIRA DIASMEMBROALUNOS
MÔNICA MARIA GADELHA MAIA MEMBROSECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Total: 11.

Sem informações até o momento

Sem informações até o momento

Ações
RealizadaAgendada
Limpar

Sem informações até o momento

Atribuições

O QUE CARACTERIZA O CONCELHO? O concelho de acompanhamento e controle social do FUNDEB é um colegiado, cuja função principal, segundo o art. 24 da lei n° 11.494/2007, é proceder ao acompanhamento e controle social da distribuição, tranferência e a aplicação de recusos do fundo, no âmbito das esferas: Municipal, Estadual ou Federal. O Concelho não é uma unidade administrativa do governo, assim, sua ação deve ser independente e, ao mesmo tempo, harmônica com os órgãos da Administração Pública local. O Poder Executivo deve oferecer ao Concelho o necessário apoio material e logístico, disponibilizando, se necessário, local para reuniões, meios de transporte, materiais, equipamentos, etc., de forma a assegurar a realização periódicas das reuniões de trabalho, garantindo assim, condições. para que o colegiado desempenhe suas atividades e efetivamente exerça suas funções (art. 24, inciso 10 da lei 11.494/2007). É importante destacar que os trabalhos do Concelho do FUNDEB soma-se ao trabalho das tradicionais instâncias de controle e fiscalização da gestão pública. Entretanto, o concelho do FUNDEB não é uma nova instância de controle, mas sim de representação social, não devendo, por seguinte, ser confundido com o controle interno, executado pelo próprio poder Executivo, nem com o controle externo, executado pelo Tribunal de Contas na qualidade de órgão auxiliar do poder legislativo, a quem compete apreciação das contas do poder Executivo. O controle a ser exercido pelo Concelho do FUNDEB é o controle direto da sociedade, por meio do qual se abre possibilidades de apontar, ás demais instâncias, falhas ou irregularidades eventualmente cometidas, para que as autoridades constituídas, no uso de suas prerrogativas legais, adotem as providências que cada caso venha a exigir.

O CONSELHO POSSUI OUTRAS ATRIBUIÇÕES? Além da atribuição principal do Conselho do FUNDEB, prevista no caput do art. 24 da Lei nº 11.494/2007, o § 9 e 13 do mesmo artigo e o Parágrafo Único do art. 27 acrescentam outras funções ao Conselho. Assim, o conjunto de atribuições do colegiado compreende: •Acompanhar e controlar a distribuição, transferência e aplicação dos recursos do FUNDEB; •Supervisionar a realização do Censo Escolar; •Acompanhar a elaboração da proposta orçamentária anual, no âmbito de suas respectivas esferas governamentais de atuação; •Instruir, com parecer, as prestações de contas dos recursos do FUNDEB a serem apresentadas ao respectivo Tribunal de Contas (o referido parecer deve ser apresentado ao Poder Executivo respectivo em até 30 dias antes do vencimento do prazo, para apresentação da prestação de Contas ao Tribunal); •Acompanhar e controlar a execução dos recursos federais transferidos à conta do Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar - PNATE e do Programa de Apoio aos Sistemas de Ensino para Atendimento à Educação de Jovens e Adultos, verificando os registros contábeis e os demonstrativos gerenciais relativos aos recursos repassados, responsabilizando-se pelo recebimento e análise da Prestação de Contas desses Programas, encaminhando ao FNDE o Demonstrativo Sintético Anual da Execução Físico-Financeira, acompanhado de parecer conclusivo e, ainda, notificar o órgão Executor dos Programas e o FNDE quando houver ocorrência de eventuais irregularidades na utilização dos recursos. As leis abaixo especificadas acrescentaram mais atribuições ao Conselho do FUNDEB: •Acompanhar e exercer controle social sobre a transferência e a aplicação dos recursos repassados aos Estados e Municípios à conta do plano especial de recuperação da rede física escolar pública (art. 5° da Lei nº 12.487, de 15/09/2011); •Acompanhar e exercer controle social sobre a transferência e a aplicação dos recursos repassados aos Estados e Municípios para manutenção de novos estabelecimentos públicos de educação infantil (art. 7°da Lei nº 12.499, de 29/09/2011); •Acompanhar e exercer o controle social sobre a transferência e aplicação dos recursos repassados para a execução das ações do Plano de Ações Articulada - PAR, conforme o termo de compromisso (art. 10 da lei n° 12.695, de 25/07/2012).

   
Voltar    

Qual o seu nível de satisfação com essa informação?


Muito insatisfeito

Um pouco insatisfeito

Neutro

Um pouco satisfeito

Muito satisfeito